Pular para o conteúdo principal

Entendendo a TPM: Mais que Um Desconforto Mensal, Um Desafio Diário

A Tensão Pré-Menstrual (TPM) é uma condição que afeta uma significativa parcela de mulheres em idade reprodutiva em todo o mundo. Não se trata apenas de uma série de sintomas físicos e emocionais que precedem a menstruação, mas também de um impacto real e muitas vezes debilitante nas atividades diárias, nas relações interpessoais e produtividade no trabalho. O Impacto da TPM no Dia a Dia das Mulheres: A TPM pode se manifestar de várias formas, com sintomas que vão desde dores e cólicas a mudanças de humor e ansiedade. Algumas mulheres relatam sentir-se como se perdessem o controle sobre seus corpos e emoções durante este período, o que pode levar a conflitos no trabalho e em casa, redução da qualidade do trabalho, faltas ao trabalho ou escola e uma sensação geral de incapacidade. Estudos indicam que aproximadamente 80% das mulheres experimentam algum grau de sintomas da TPM, mas cerca de 5 a 8% enfrentam uma forma mais grave conhecida como Transtorno Disfórico Pré-Menstrual (TDPM), que

Seguidores

O que o trabalho significa para você!

 





Você já deve ter ouvido falar na expressão “O trabalho dignifica o homem”

Ou seja, trabalhar dá dignidade às pessoas, independente de ser homem ou mulher. Não importa qual o tipo de trabalho que você exerce, ou onde você trabalha.

Não importa se você trabalha em empresa pública, privada ou se é “do lar”, como é popularmente chamada as pessoas, geralmente mulheres, que são “donas de casa”.

Não importa se você trabalha com carteira assinada ou é autônomo. O trabalho sempre vai dar dignidade às pessoas.

Algumas pessoas são felizes no que fazem e outras nem tanto.

Algumas pessoas trabalham próximos da empresa, outras precisam ir de carro, ou mesmo de transporte público, seja de ônibus, metrô, trem, táxi, uber, de charrete ou à cavalo.

Não importa o meio que você utilizada para ir ao trabalho. O importante hoje é trabalhar.

Mas, trabalhar para quê?  Qual o sentido da palavra trabalho, para você? Porquê você trabalha?

O meu avô, um imigrante japonês, desembarcou no Brasil em 1916, vindo do Japão de  navio que durou meses para chegar aqui.

O grande desafio não era somente pelo tempo que duraria a viagem, mas as condições em que essa viagem seria realizada. Eu particularmente, não consigo sequer imaginar o desconforto para dormir, para se alimentar. Os navios de antigamente eram bem diferentes dos navios de cruzeiro de hoje.

Bem, o objetivo aqui não é falar sobre a viagem de navio, mas sim, o que levou o meu avô e um primo, e todos os imigrantes que vieram, a  saírem do Japão para vir numa terra distante, praticamente do outro lado do planeta, para um lugar totalmente desconhecido, com uma língua estranha, imagine a dificuldade de se compreender o português.

Deveria haver um motivo muito forte mesmo! E eu sei que tinha, porque o que se falava lá no Japão, era de que o governo brasileiro estavam distribuindo terras para que os imigrantes pudessem fazer o plantio e enriquecer, era o que diziam a boca miúda, mas na verdade, o governo brasileiro estava precisando de mão de obra para trabalhar nas fazendas de café.

Sim, meu avô, tinha um sonho, vir ao Brasil, enriquecer e voltar ao Japão. Mas, não foi exatamente isso que aconteceu.  Ele vieram, começaram sim trabalhando na lavoura de café, no interior de São Paulo, e apesar de todas as dificuldades de adaptação, ele se apaixonou pelo Brasil e pelo povo brasileiro. Esse povo formado também por muitos imigrantes, portugueses, italianos e espanhóis, alemães, e tantos outros povos que vieram em busca da realização de um sonho.

Acabou ficando, formou sua família, e aqui estou, como um descendente do povo japonês.

Então, vir ao Brasil e trabalhar nas lavouras de café, era uma questão de sobrevivência, porque o Japão passava por dificuldades financeiras, e dessa questão de sobrevivência, ela se tornou uma missão de vida para o meu avô.

Missão porque ele tinha uma família para sustentar e também tinha um propósito de vida.

E esse propósito de vida foi concretizado com a aquisição de uma propriedade, onde ele cultivava café e também tinha uma pequena granja onde ele recolhia os ovos para vender na cidade.

E podia perceber na expressão de meu avô, que ele era muito feliz com esse propósito porque ele sabia que o café e os ovos que ele vendia, estava alimentando muitas famílias.

E assim, eu cresci também atrás de um propósito para a minha vida. Segui o exemplo de meu avô para fazer as pessoas mais feliz. Esse é o meu propósito.

E qual é o seu propósito, porquê você trabalha?

Você trabalha apenas para pagar as suas contas que não param de chegar?

Você trabalha porque você entende que todo mundo tem que trabalhar?

Você trabalha porque o trabalho é uma missão de vida para você

Ou você trabalha porque tem um propósito na sua vida?

Você sabe que trabalhar por um propósito, irá te fazer mais feliz,  vai fazer você trabalhar mais focado, vai fazer você produzir mais, brigar menos, sorrir mais, ter mais saúde, ter mais qualidade de vida, mais equilíbrio em sua vida, vai poder dar  oportunidade de ter motivação para ir em busca de suas conquistas, vai ter a oportunidade de ter uma família mais feliz, vai poder ter a oportunidade de conquistas financeiras, tudo isso porque você estará mais centrado nos seus objetivos.

Se você não está feliz no que você faz, mas tem planos futuros de realização, mesmo que já tenha atingido uma certa idade, que você acha que é impossível pensar em conquistas neste momento de vida, eu te garanto que para isso não tem idade e nem tem classe social. Tem apenas a vontade de querer a sua transformação.

Porque, eu mesmo, tive muitos conflitos internos, embora eu gostasse das coisas que eu fazia, eu não amava as coisas que eu fazia. E só depois de muitos anos trabalhando, muitas vezes em empresas que eu sempre criticava, eu pude entender o que era felicidade no trabalho.

Eu vivia em conflitos comigo e com os outros. Muitas vezes com pessoas que até queriam o meu bem, mas eu não conseguia enxergar isso, porque  eu não estava feliz no meu trabalho.

Foi preciso a ajuda de outras pessoas, para poder enxergar que muitas vezes não era o meu trabalho que me fazia não tão feliz assim, mas a minha postura e a minha conduta, e principalmente o meu padrão de pensamento que era um tanto quanto negativo. Depois que eu comecei a mudar a minha postura e meus pensamentos, parece que as coisas começaram a fluir de uma forma mágica.

Fiquei mais leve, mais equilibrado, e pude colocar objetivos na minha vida em que eu pudesse, com a ajuda até de profissionais, de concretizar o meu propósito de vida e que irei carregar como a minha missão de vida.

E você, qual é o seu propósito, o que você quer para a sua vida?

Assim como eu que tenho planejado os meus próximos 5 anos, você já planejou onde você quer estar daqui a 5 anos?

Como está a sua vida hoje? Como você quer que ela esteja daqui a 5 anos, já meditou a respeito?

Tem um palestrante motivacional americano chamado Tony Robbins que tem uma frase que eu curto muito. Ele diz “Saiba que são as suas decisões, e não as suas condições que determinam seu destino.”

Você quer mudar a sua vida, ter um propósito, ou prefere estar onde você está.

Se você fizer a opção de mudar os rumos de sua vida e quiser encontrar um propósito para você, inscreva-se para o Desafio “Como chutar o balde com inteligência e manter a elegância”, onde você estará comigo durante 5 dias diretos (entre os dias 23 a 27) de janeiro de 2023 às 20:00h, para falarmos sobre o seu crescimento pessoal e profissional e saber sair de um conflito com seu colega de trabalho de maneira inteligente e elegante e ainda se destacar como profissional.

Inscreva-se pelo link que está na matéria ou pelo Instagram.

#Ikigai

#Felicidade

#Trabalho

#Propósito

#Traumas emocionais

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Descobrindo Equilíbrio e Propósito: Superando Ansiedade e Descontentamento no trabalho

A trajetória de uma mulher é marcada por desafios e realizações, mas nem sempre é isenta de obstáculos emocionais.  A ansiedade e o descontentamento frequentemente se entrelaçam nessa jornada, impactando não apenas a vida pessoal, mas também influenciando as decisões e ações profissionais.  Neste artigo, mergulharemos fundo nos efeitos da ansiedade e do descontentamento em mulheres empreendedoras e como o Grupo Ikigai pode ser o guia para transformar esses obstáculos em oportunidades de equilíbrio e propósito. Navegando pelas Ondas de Ansiedade e Descontentamento: A ansiedade, uma companheira constante na vida da empreendedora, pode se manifestar de diversas formas.  As pressões de equilibrar a vida profissional e pessoal,  tomar decisões cruciais e  enfrentar incertezas financeiras podem criar um ciclo de preocupações constantes.  Paralelamente, o descontentamento surge quando os objetivos não são atingidos conforme o planejado, deixando uma sensação de estagnação e insatisfação. Os E

Ansiedade Após os 40 anos: Como Lidar com os Desafios e Pressões da Meia-Idade

A chegada dos 40 anos pode trazer uma série de reflexões e mudanças na vida de uma pessoa. É uma fase marcada por transições importantes, tanto físicas como emocionais. Nesse estágio, muitas pessoas se deparam com novos desafios e pressão, que podem levar ao estresse ou agravamento da ansiedade.  Neste artigo, vamos explorar como a ansiedade se manifesta após os 40 anos e quais são as melhores estratégias para lidar com esse período de forma saudável e equilibrada. Os Desafios da Meia-Idade A meia-idade é uma fase de mudanças. Muitas pessoas passam por transformações em suas carreiras, relações familiares e no próprio corpo.  As expectativas sociais também podem pesar, já que a sociedade costuma importar padrões de sucesso e representação nessa etapa da vida.  Tudo isso pode levar a um sentimento de sobrecarga e ansiedade, especialmente quando as expectativas não estão definidas com a realidade. Pressões Sociais e Ansiedade Após os 40 anos, é comum sentir-se pressionado a  alcançar det

Como a Pressão Social e as Expectativas Afetam a Saúde Mental dos Homens

  No segundo artigo da nossa série sobre ansiedade, vamos abordar um tema importante e sensível: a relação entre ansiedade e o público masculino.   É essencial entender como a pressão social e as expectativas podem impactar a saúde mental dos homens e buscar soluções para ajudar a enfrentar esse desafio. A Máscara da Força: A pressão para não demonstrar fraqueza Desde muito cedo, os homens são ensinados a serem fortes, resilientes e capazes de lidar com qualquer desafio que a vida apresente.  Essas expectativas podem criar uma pressão emocional e psicológica enorme, levando muitos homens a esconderem suas emoções e não buscarem ajuda quando estão enfrentando problemas de saúde mental, como a ansiedade. A pressão para parecer sempre forte e inabalável pode criar uma máscara, por trás da qual a ansiedade e outras questões emocionais estão escondidas. No entanto, é importante entender que a vulnerabilidade e a busca por ajuda não são sinais de fraqueza, mas sim de coragem e sabedoria. A A